quarta-feira, 16 de março de 2016

Sérgio Moro pegou Lula e Dilma em gravação combinando blindagem do ex-presidente no STF



Sérgio Moro pegou Lula e Dilma em gravação combinando blindagem do ex-presidente. O juiz decidiu hoje acabar com o sigilo das gravações de conversas do ex-presidente Lula e aponta indícios de manobras para blindá-lo. Supremo agora terá que tratar de fraude processual do caso.

O juiz federal Sérgio Moro divulgou agora no final da tarde uma conversa telefônica interceptada entre o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff, no qual os dois combinam um esquema para impedir que Lula seja preso antes da publicação de sua nomeação como ministro no Diário Oficial. Dilma tranquiliza Lula e diz que encaminhará a ele o "termo de posse" de ministro. Esta noite, saiu uma edição extraordinária do Diário Oficial onde já consta a nomeação de Lula como ministro.

O documento é uma forma de garantir que Lula já é ministro do governo e que, neste caso, Lula já se encontra livre de Sérgio Moro e pode contar com a garantia de que seu caso já se encontra sob a jurisdição do STF.

Dilma diz a Lula na conversa que o termo de posse só seria usado "em caso de necessidade".

Os investigadores da Lava Jato interpretaram o diálogo como uma tentativa de Dilma de evitar uma eventual prisão de Lula. Se houvesse um mandado do juiz, de acordo com essa interpretação, Lula mostraria o termo de posse como ministro e, em tese ficaria livre da prisão. O juiz Moro não pode mandar prender ministros porque eles detêm foro privilegiado.

O juiz vai encaminhar para o Supremo toda a investigação sobre Lula quando chegar o termo de posse de Lula.

A conversa foi gravada pela Polícia Federal, no inquérito que apura a posse do sítio em Atibaia (SP). A hipótese dos investigadores é que o sítio foi doado a Lula por empresas que tinham contrato com a Petrobras, como a Odebrecht, OAS e José Carlos Bumlai, este amigo do ex-presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário